ptenes

Blog

Essa é uma dúvida frequente nas minhas redes sociais e consultório! Sei que muita gente vai ficar desapontada, mas tenho um compromisso comigo mesma: usar meu trabalho para LEVAR SAÚDE AO MAIOR NÚMERO DE CRIANÇAS POSSÍVEL.   Leiam a lista de ingredientes de um biscoito tipo "Maizena" de uma marca conhecida: Farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico (trigo branco), açúcar, gordura vegetal hidrogenada, açúcar invertido, amido, soro de leite, sal, fermentos químicos bicarbonato de amônio, bicarbonato de sódio e piro fosfato ácido de sódio, emulsificante lecitina de soja, aromatizante (não informa qual) e "melhorador" de farinha metabissulfito de sódio. Contém Glúten. Aromatizado artificialmente. Resumindo: Trigo Branco + Açúcar + Gordura Hidrogenada + Aditivos Químicos   Pode ser gostoso, não ter recheio, ter cara de inocente mas, na minha opinião, esses são alguns daqueles produtos que não deveriam fazer parte do dia a dia das nossas crianças! Infelizmente, porém, têm sido introduzidos precocemente na alimentação dos pequenos, às vezes, ainda bebês! Precisamos acostumar nossos filhos a comerem COMIDA DE VERDADE!   Com amor, Andreia Friques Comentar (0 Comentários)

Pois não deveria! Eu e meu marido sempre tivemos o propósito de deixar nossos filhos longe das guloseimas, principalmente até completarem 2 aninhos. Fizemos isso com Miguel quando eu ainda não era Nutricionista Materno Infantil e valeu muito a pena. Com meu caçula fizemos o mesmo. Além da questão da formação dos hábitos, no caso dele, tínhamos um motivo a mais: Davi tinha uma forte intolerância ao leite. Por já ter um irmão mais velho, frequentemente ia comigo em aniversários e eu sempre levei o lanchinho saudável deles nas festinhas. Para mim isso era e ainda é super natural. Até que um dia, quando ele tinha quase 2 anos, enquanto me distrai por alguns segundos, uma pessoa colocou um brigadeiro enorme na boquinha de Davi. Eu sei que ninguém faz isso por mal, é por ignorância, no sentido literal da palavra. Eu, educadamente, disse a ela que ele não podia consumir leite, que nunca havia comido um doce e retirei parte do brigadeiro, antes que ele engolisse tudo. Bem, aí vocês imaginam o resto da história... resumindo, passei aquela noite toda com Davi suando frio de cólicas e dor abdominal. Sempre que escrevo sobre a importância de manter os pequenos longe das guloseimas algumas pessoas se pronunciam como se isso fosse exagero, ou algum castigo à criança. Castigo? Como assim? Como alguém vai sentir falta de algo que ainda não provou? Se você mostrar um cupcake trufado a uma criança de 1 ano e meio que nunca provou o que é leite condensado, ela com certeza se interessará! Mas se você mostrar a ela um bolinho lindo, coloridinho, saudável, feito com frutas, ela muito provavelmente, se interessará da mesma maneira. Você não concorda com nada disso? Ainda não está convencido do quanto os Primeiros Mil Dias (da fecundação aos 2 anos) são CRUCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO? Você acha que um dedinho lambuzado de milk-shake não faz mal a ninguém? Ok, é um direito seu! Mas respeitar os que já acorda ram para essa realidade, É DEVER DE TODOS! Está pensando em oferecer algo a uma criança pequena? Pergunte primeiro aos seus responsáveis o que acham disso!   Com amor, Andreia Friques.   Comentar (0 Comentários)

1. Massageie a barriguinha do bebê Ao perceber o desconforto da criança, acaricie sua barriga com movimentos circulares no sentido horário. "Com as mãos em concha, deslize uma de cada vez pela barriga da criança, partindo da base das costelas em direção ao púbis. O toque deve exercer uma pressão suave". "Coloque o bebê deitado e dobre lentamente os joelhos dele de modo que as coxas pressionem de leve a barriga. Depois, estenda novamente as pernas e recomece, como se ele estivesse pedalando. O movimento pode ser feito várias vezes ao dia, não apenas na hora da dor. 2. Dê um banho quente Prepare um banho de imersão regulando a temperatura da água entre 36ºC e 37ºC. Cuide para que o ambiente esteja silencioso e, se possível, coloque uma música suave tocando. Diminua a luz e converse ou cante para ele."A percepção de uma atmosfera calma ao redor tranquiliza, e a água na temperatura do corpo proporciona uma sensação muito próxima à que a criança experimentava no útero". 3. Faça uma compressa Passe uma fralda a ferro e coloque-a ainda quente sobre a barriga da criança ou use uma bolsa térmica com água morna. O calor favorece a vasodilatação, facilita o fluxo sanguíneo e relaxa a musculatura, diminuindo o desconforto abdominal. "Tenha o cuidado de testar a temperatura antes"! 4. Tente um contato pele a pele Quando deitado de bruços sobre o peito do pai ou da mãe, o bebê consegue expelir mais facilmente os gases que o incomodam e agravam a cólica. "Tire sua blusa e a roupa dele, deixando-o apenas com a fralda. O contato pele com pele aconchega, enquanto o cheiro e a voz da mãe ou do pai transmitem calma e segurança". 5. Enrole o pequeno no cueiro "Envolver o corpo do bebê como se fosse um pacotinho, proporciona uma sensação de aconchego e segurança e diminui a irritabilidade e a agitação da criança". Distraia o bebê com uma caminhada pela casa, segurando-o de bruços, com a barriguinha apoiada nas suas mãos - esse contato aquece o abdome e traz o conforto do toque. 6. Ofereça o peito "A estimulação oral que decorre do movimento de sucção é uma fonte de satisfação que ajuda a amenizar a cólica" (Fonte: m.demulher.abril.com.br) Comentar (0 Comentários)

ATENÇÃO GESTANTES E FUTURAS GESTANTES‼️ Já está à venda o mais novo DVD da nutricionista Andreia Friques: "Da barriga da mamães às primeiras comidinhas"! Alguns assuntos abordados: * Por que preparar seu corpo para engravidar e cuidar da alimentação durante a gestação? * Epigenética: Como nossa alimentação contribui para a programação das doenças nos nossos filhos? * Qual o ganho de peso ideal? Quais os alimentos devem ser evitados pela gestante? Quais ela deve priorizar? * Gestante pode consumir álcool? * Como ter sucesso na amamentação? * Como são formados: o paladar e as preferências alimentares da criança? * Por que os 1.000 primeiros dias são tão decisivos na vida da criança? * Vale a pena fazer uma dieta radical para evitar que o bebê tenha cólica nos primeiros meses? * Como saber se o bebê está pronto para começar a introdução da alimentação complementar? * Por que evitar sucos para os bebês? *O que não oferecer até os 02 anos de vida? * E o bebê que recusa a alimentação complementar? * Quais os suplementos fundamentais ao bebê até os 02 anos de vida? * Especial: Como lidar com as interferências familiares na alimentação do seu filho sem traumas? * Quais os erros você deve evitar no processo de Educação Nutricional? ______________________________________________________________________ ✔️ ADQUIRA ESSE E OS OUTROS DVD's ENVIANDO E-MAIL PARA: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. Informações através dos telefones (27) 3215 3606 ou (27) 9 9771 8933 (WhatsApp) Comentar (0 Comentários)

Reunião de família, visita na casa da avó, aniversário da escola, viagem com as tias... Situações comuns que normalmente são muito agradáveis. Mas seu FILHO COME MAL, é "seletivo", ou só "chato" mesmo e você sofre com isso. Então, sem querer, sem perceber, dia após dia você acaba repetindo a "velha" e, na minha opinião, terrível frase: - Meu filho não come! E isso passa, com o tempo, fazer parte do dia a dia da casa! Virou e mexeu, alguém, em alguma momento diz SOBRE ele: - Ah... O "fulaninho" é chato pra comer! Queridos, há alguns anos estudo e escrevo sobre esse assunto... Mas hoje quero trazer a vocês uma reflexão IMPORTANTE, ESPECIAL: Mude o assunto da sua casa! Enfatizar o COMPORTAMENTO NEGATIVO não resolve nada, ao contrário, só gera mais sofrimento, constrangimento, insegurança e frustração na vida da criança! Comece a valorizar as pequenas conquistas da criança! Se ele aceitar apenas tocar em um novo alimento, cheirá-lo, colocá-lo na boca.... Mesmo que não coma (ainda), aproxime-se dele, olhe profundamente em seus olhos e diga: FILHO VOCÊ É MARAVILHOSO, INTELIGENTE E MUITO CAPAZ! Tenho muito orgulho de você e sei que uma hora você vai conseguir! Você está sofrendo com a SELETIVIDADE ALIMENTAR do seu filho? Então saiba: ELE TAMBÉM SOFRE COM ISSO! Mude o "assunto"! Troca o disco! Vire a fita! Você vai ver, não é fácil, mas dá resultados! Com amor, por amor, Andreia Friques Comentar (6 Comentários)

O bebê chora porque está com frio, porque o barulho está alto, porque a cada 10 minutos alguém o tira do berço para uma foto! O bebê chora porque a etiqueta da roupa incomoda, porque a fralda está cheia, porque ele há pouco estava aninhadinho, protegido, sossegado no útero e agora... Ah... A vida ficou tão diferente... O bebê chora (e espirra) porque tem muito cheiro forte na casa e nas pessoas. Chora porque a água do banho está fria ou quente demais... Ele também chora porque está com fome, mas NEM SEMPRE ESTÁ COM FOME QUANDO CHORA!!! Chora porque não sabe falar, nem escrever o que está sentindo! Você ganhou ou vai ganhar um bebê? Saiba ele VAI CHORAR, não vem com Manual de Instruções e você (como eu), muito provavelmente, NÃO DORMIRÁ MAIS COMO ANTES! Não existe "gotinha" milagrosa, nem POWER mamadeira que faça com que ele amadureça da "noite para o dia"! Acalme seu coração, mantenha-se equilibrado, permita que o bebê seja: BEBÊ! Com o tempo vocês vão se conhecer melhor... Com MUITO amor, Andreia Friques Comentar (0 Comentários)
Fique bem informada!
Assine nossa lista gratuita

A gente se encontra por aqui e pela vida, sempre!

Newsletter

Informe seu email para receber informações gratuitamente.